sexta-feira, 17 de abril de 2009

Já não me lembrava como era isto de começar de novo. Perder a vontade de fazer coisas que não seja pensar e recordar, imaginar e sonhar. Deixar acumular insolente o trabalho e o corriqueiro porque desfrutar do assalto se tornou urgente e impossível de evitar.
A verdade é que não me apetecia nada, tenho tanta coisa para fazer. E tenho a vaga ideia de que eram coisas importantes. Devia ter anotado na agenda que não uso, mas que daria jeito nesta altura em que o discernimento me está a fugir.
Esqueço-me sempre desta minha capacidade infinita de me apaixonar. Talvez deva anotar algures.
Aqui parece-me bem.

2 comentários:

Coisa Boa disse...

Minha querida....a mim parece-me bem...o que esperamos das nossas-amigas-para-toda-a-vida-que-nós-só vemos-de-vez-em-quando é que sejam felizes!
Beijo

Anónimo disse...

És demais amiga. Única.
Adoro-te. Se quiseres desenvolver esse comentário.......se n quiseres q seja no blog, dá uma ligadinha ou vem cá a casa....ehehhheehheh!!!

Bj,
Iolanda.

acerca da menina