sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Sal

O engraçado de trabalhar dez horas pela noite dentro é chegar de manhã, demorar uma hora no banhinho e dormir profundamente enquanto todos os outros estão acordados. Acho piada. Gosto de acordar desnorteada sem saber onde estou nem ter a menor noçao do tempo. Dar-me ao luxo de me perder e de inverter toda a norma. Privilégio só meu. Aqui.
Depois acordo com o cabelo todo desgrenhado, com fome de refeições em horas trocadas e ando assim pelo menos até ao dia seguinte. O ideal é que ocorra ao fim de semana em que o domingo se pode prolongar numa ronha infinita. Aqui a norma é boa.

Só para quem se esteja a rir e a dizer que: "sim, I, isso também acontece quando se sai à noite só que, em vez bulir como escrava estiveste a divertir-te como se não houvesse amanhã, ainda te lembras do que é isso?" Lembro-me, mas isso interfere com a parte do dormir. Durmo melhor depois de trabalhar do que depois de uma noite de risota, copos e malandragem com as amigas.
Ok, não, na verdade, acontece-me mais este vôo do que conseguir reunir as gajas.

1 comentário:

Patrícia disse...

Aproveita...
miga...andas a trocar de "poiso" não é? se precisares é só dizer!!!
Beijo

acerca da menina