sábado, 4 de agosto de 2007

TPM

É uma altura em que se pode confundir o estado dessa pessoa com o de alguém que sofre de distúrbios mentais ou personalidade múltipla. Vejamos:
À mínima coisa o humor muda para o oposto em que se estava. Telefonas a combinar seja o que for e cinco minutos depois já não te apetece fazer nada daquilo, tipo: quero ir e quero ficar. Se ainda não estavas de mau humor vais ficar porque só essa indecisão te vai irritar. Aí já estás transformada numa péssima companhia seja para quem for e até para ti mesma.
Vês um cão na rua e desatas a chorar porque na tua cabeça a infelicidade de todas as criaturas do mundo está ali espelhada e é culpa tua.
Também não tens forma de conter o mau feitio em relação àquelas pessoas que em situações normais ignoras e vais espalhando fel à tua passagem, lançando palavras que soam como dardos e assim aumentando a colecção de inimigos. Logo a seguir, pisas sem querer um bicho da conta e desatas a chorar outra vez.
No fim do dia, não sem teres gritado com a tua mãe ao telefone, dás conta daquela dorzinha quase imperceptível mas sempre presente e percebes a razão de todo aquele azedume. Que continua nos dias seguintes porque, apesar de já saberes o porquê, continuas sem o querer evitar.
E a vontade de comer coisas improváveis?
Falo como se fosse para outra mulher porque uma outra característica deste meu estado é justificá-lo como se fosse universal.
Este é o mundo maravilhoso das mulheres. Ok, talvez só o meu.

1 comentário:

Segredo Cor de Rosa disse...

Estou a passar essa fase.
Uma semana antes é fatal.
Noto principalmente a tristeza inexplicável, o apetite por doces e afins e o mau feitio a fervilhar. E ai d'alguém que me diga alguma coisa...

acerca da menina