quarta-feira, 18 de julho de 2007

O Amor

Sentir aquele arrepio e o nervosinho do encontro, mesmo que seja o milésimo. O estômago apertado, o tremelique nas pernas.
Frio, calor, frio outra vez, muito calor...
Mesmo que tenha que esquecer tudo logo a seguir.
Fazer das tripas coração e continuar à espera, a sorrir, a lutar e a acreditar.
A vida não pára...

2 comentários:

m disse...

e o coração bate descompassado.e há coisas que não mudam.e há altos e baixos.e há momentos, momentos,momentos que todos bem coladinhos nos constroem, e fazem a nossa vida.e há o seguir em frente.porque sim.porque fará sentido.

Segredo Cor de Rosa disse...

Há coisas que ninguém explica e o Amor é mesmo assim.
No dia que alguém conseguir explicar o que quer que seja, deixa de ser o Grande Sentimento que é.

acerca da menina